Notícias de Nutrição | Edição nº 7

Como profissionais de nutrição, é essencial manter-nos atualizados sobre as novidades na área da nutrição e as novidades da mídia. Isto é importante para basearmos as nossas recomendações em consulta em informação com base científica e atualizada, mas também para estar a par da realidade atual, a qual os nossos clientes estão expostos.

Nesta edição de outubro, Harriet Smith, Nutricionista e autora do blog surreydietitian.co.uk nos fala sobre os artigos científicos publicados recentemente na área da nutrição, assim como novas políticas de saúde nas redes sociais.


A alteração no consumo de frutos secos influencia mudanças de peso a longo prazo

Um estudo recente concluiu que o aumento do consumo de frutos secos é associado a uma redução do aumento de peso a longo prazo e a um menor risco de obesidade em adultos.

Este estudo combinou dados de 3 grandes estudos observacionais americanos, em que foi feita a análise do consumo diário e o acompanhamento do peso em mais de 144 000 adultos em intervalos de 4 anos durante mais de 20 anos.

O aumento diário do consumo de frutos secos foi significativamente associado a um menor ganho de peso por ano. Pessoas que ingeriam uma porção de cerca de 14 g por dia de frutos secos ganharam menos peso (-0,37kg) do que pessoas que não ingeriam essa porção diária, num período de 4 anos (o aumento médio do peso foi de 1,28kg).

Este estudo sugere que trocar alimentos menos saudáveis (como batatas fritas) por frutos secos pode prevenir o aumento peso e o risco de obesidade a longo termo.

É importante referir que estes estudos são observacionais, e por isso, não permitem identificar associação. Adicionalmente, a maioria dos participantes deste estudo eram profissionais de saúde caucasianos com um estatuto socioeconômico elevado, o que quer dizer que os resultados podem não ser representativos da população.

Ainda assim, este estudo é importante na medida em que apoia as recomendações atuais para o consumo de frutos secos como parte de uma alimentação equilibrada.

A aprendizagem sobre a área da nutrição é insuficiente durante o curso de medicina

Um novo estudo publicado no The Lancet concluiu que estudantes de medicina não têm formação suficiente para oferecer aos pacientes cuidados de nutrição de qualidade.

Uma revisão sistemática combinou dados de 24 estudos globais sobre a disponibilização de educação nutricional entre estudantes de medicina.

Concluíram que, a educação nutricional era insuficiente entre os programas de medicina, em todo o mundo. Esta falta de aprendizagem no currículo tem um impacto na capacidade e competência dos estudantes de medicina em incluírem aconselhamento e cuidados nutricionais no tratamento do doente.

Os pesquisadores recomendam que a aprendizagem sobre nutrição deveria ser um aspecto obrigatório nos programas de medicina, de forma a melhorar a integração de cuidados nutricionais no tratamento do doente.

A obesidade "não é uma escolha"

Um relatório publicado pela Sociedade Britânica de Psicologia recomenda que as campanhas de saúde pública deveriam evitar pressupor que a obesidade é meramente uma escolha.

Este relatório reconhece as complexas causas da obesidade incluindo fatores biológicos, psicológicos, e sociais, e não apenas uma falta de vontade. Advogam para que haja um ponto final na estigmatização do peso e viés por parte da mídia.

Os autores reforçam a importância de usar psicologia baseada na evidência em campanhas, que têm por objetivo a mudança de comportamentos de modo a facilitar a perda de peso.

Recomendam ainda que psicólogos deveriam trabalhar em equipes multidisciplinares para fornecerem intervenções no que toca a manutenção do peso e obesidade.

Instagram anuncia novas regras em publicações sobre produtos para perda de peso

O Instagram e Facebook querem impor novas regras em publicações que promovem produtos para perda de peso, refere a BBC.

A publicidade sobre produtos de perda de peso (incluindo procedimentos de cosmética) não vão ser apresentados para utilizadores com menos de 18 anos. Publicações que divulguem falsas promessas e declarações de saúde fictícias (ex. "perda de peso rápida" ou "desintoxica o corpo") vão ser mais facilmente reportadas e removidas das respectivas plataformas e sites.

Estas mudanças são um resultado da pressão de campanhas de diferentes grupos, incluindo @i_weigh, uma conta de Instragram de Jameela Jamil. Jamil tem vindo a protestar contra produtos promovidos por celebridades para perda de peso e detox (como os pirulitos supressores de apetite promovidos por Kim Kardashian).

No entanto, o Instagram ainda não lançou nenhuma declaração pública sobre estas novas regras.


Se você ainda não conhece, não se esqueça de visitar a seção Nutrição em nosso blog e reveja as edições anteriores das Notícias de Nutrição.

Informamos que não compartilhamos qualquer visão em particular sobre qualquer uma destas notícias. O nosso objetivo é apenas o de informar os temas que os profissionais da área têm debatido, as notícias mais recentes e disponibilizar tudo isto aos nossos profissionais à distância de um clique.

Diga-nos que outras fontes utiliza para análises baseadas em dados concretos sobre as últimas novidades da nutrição e outros tópicos recentemente abordados.