Conheça o seu paciente

Uma recolha de informações correta e completa junto do seu paciente e durante cada consulta é um passo de extrema importância. A Drª Teresa Campos partilha agora a sua perspectiva e conhecimento neste assunto.


Motivações e expectativas para o acompanhamento

Um importante aspecto enquanto nutricionista é perceber o paciente que está em consulta quanto às suas necessidades, objectivos, motivação e expectativas em relação ao plano alimentar que lhe será prescrito.

A motivação poderá ser “regressar à sua forma física enquanto jovem”, “encerrar toda uma vida com problemas com o peso”, “preparar-se para uma gravidez” ou “contribuir para que o bebé durante a gravidez já beneficie de cuidados por parte da mãe”, entre outros.

O nível de motivação pode ser depois quantificado, considerado baixo, razoável ou elevado; caberá primeiro ao paciente identificar esse nível e depois o nutricionista reconhecê-lo, tendo em vista as mudanças comportamentais no que diz respeito à alimentação e ao estilo de vida.

Estes pontos servem de referência para manter ou melhorar os níveis de motivação ao longo do tratamento, ajudar a superar limitações e fazer o paciente entender que o foco está em si.

A imagem corporal que deseja e os hábitos alimentares que irá “aprender” servirão para melhorar a percepção que tem de si, independentemente da percepção que deseja que os outros tenham da sua pessoa. Este factor, a procura do conhecimento, da motivação e expectativas do paciente, é o que diferencia os resultados obtidos através do plano alimentar prescrito pelo nutricionista.

O paciente e o nutricionista devem ser quase como um binómio, ou seja, o paciente dá um feedback e o nutricionista ouve e actua para o objectivo que partilham: a melhoria do plano alimentar, de dados como o peso ou perímetros corporais e sobretudo de saúde.

História Clínica e Medicamentosa

Outro aspecto importante numa consulta é o levantamento da história medicamentosa do paciente, associada naturalmente à recolha de informação sobre a sua saúde, patologias ou sintomas. Conhecer e estar familiarizada com os efeitos terapêuticos dos medicamentos que o paciente possa estar a tomar é também uma obrigação como nutricionista.

Não compete ao nutricionista prescrever ou alterar prescrições do médico mas a toma de um medicamento pode afectar a ingestão, digestão, absorção, metabolismo ou excreção de nutrientes e condicionar o estado nutricional do paciente ou então, a ingestão de um alimento pode afectar a acção do medicamento e condicionar o seu estado de saúde.

A quantidade e a frequência com que o medicamento é tomado e a duração desde o início devem ser dados recolhidos na consulta de nutrição. A interacção entre medicamentos e nutrientes é um dado que não deve ser desvalorizado e que vai acrescentar maior valor profissional á nossa consulta e, veicular informação entre o nutricionista e o médico que acompanha o paciente.

Alergias e intolerâncias

A informação sobre alergias alimentares existentes no paciente é outro ponto a focar.

Haver uma alergia diagnosticada significa que o plano alimentar terá que atender a que esse alimento ou ingrediente não pode estar presente. Reavaliar uma eventual alergia ou intolerância alimentar será uma obrigação do nutricionista pois pode não ter havido um diagnóstico correto e o paciente não se sentir apenas bem com aquele alimento, o que não significa alergia.

Essa informação é importante pois na consulta, é explicado o que pode estar a acontecer, como melhorar e reintroduzir esse alimento sem voltar a sentir desconforto, privilegiando desta forma a cientificidade da área de actuação da nutrição, sem se deixar “incomodar” por modas alimentares que ditam “alergias” e “intolerâncias”.

No caso de diagnóstico correcto, deve adaptar-se sempre o Plano Alimentar às condicionantes alimentares e nutricionais.

Uma consulta de nutrição deve contemplar uma “arquitectura” de informações que sistematizam o necessário e o importante para o nutricionista ser e dar o melhor contributo para o paciente, em termos técnicos, comunicacionais e empáticos.

O Nutrium dá-lhe essa possibilidade

Se reconhece o valor desta etapa, o separador Informações do Nutrium irá facilitar-lhe toda a recolha e registo destes dados para cada um dos seus pacientes, de forma a levá-los sempre em consideração no decorrer de cada consulta e do seu seguimento.

Lembre-se, a qualquer altura pode começar a utilizar o Nutrium sem qualquer restrição ou custo durante um período de 14 dias. Experimente já!


Continue a seguir o nosso blog para mais artigos, criados por profissionais, que vão ajudar-lhe a perceber as vantagens do nosso software para o seu dia a dia!